Facebook
CCAL realiza oficinas online para crianças – Centro Cultural do Alumínio

Em tempos de isolamento social, mesmo com o espaço fechado ao público, o Centro Cultural do Alumínio manteve sua programação para o mês de abril, de levar arte e educação para as crianças. Nos dias 22 e 23, o CCAL realizou oficinas online e ao vivo com a artista e educadora Silvia Ruiz.

A gerente cultural, Silvia Toledo, explica que as oficinas infantis estavam da programação do CCAL para o mês de abril. “Imaginávamos outra realidade, mas a realização das lives possibilitou que, nesse período de quarentena, cada criança, de qualquer lugar do Brasil, pudesse ter um momento de atividade artística.”

Com a proposta de utilizar materiais facilmente encontrados nas residências, a arte-educadora Sílvia Ruiz conduziu online, durante uma hora, duas oficinas: “Colagem e frotagem com folhas de alumínio” e “Artebox com embalagens cartonadas e latas para bebidas”. Além do cuidado com a escolha dos materiais, os temas e o graus de dificuldade das oficinas tinham que atender crianças de todas as faixas etárias.

“Vimos trabalhos com bastante qualidade, que foram muito bem executados e caprichados considerando a idade das crianças; claro que a participação dos pais foi fundamental, mas as aulas foram criadas pensando também nesse envolvimento”, afirma Silvia Ruiz.

Os vídeos das duas oficinas estão disponíveis no canal do Youtube do Centro Cultural do Alumínio, com a descrição dos materiais necessários.

Premiação

As oficinas online tiveram ainda um estímulo adicional: os trabalhos que fossem publicados nas redes sociais e marcassem o perfil do CCAL concorriam a duas bicicletas. Participaram do concurso 23 trabalhos e, entre estes, os dois mais votados foram o do Bruno Henrique, de Guarulhos (SP), na oficina de colagem e frotagem; e o da Isabelly, de Alumínio (SP), na oficina de artebox .

Bruno Henrique, de dez anos, criou um cenário de praia com alguns animais marinhos e um belo pôr do sol. “Fiz os animais marinhos de alumínio, porque ele é infinito, e eu quero que eles tenham uma vida beeem longa”, concluiu o pequeno artista.

A artebox da Isabelly tinha alumínio na lua, na bailarina, no coração, dentro e envolta da caixa de papelão; e em várias espessuras, para espanto da menina de sete anos. “Eu não sabia que tinha tanto tipo de papel alumínio e eu vi que eles são diferentes.”

 

Silvia Ruiz, que foi uma das juradas do concurso, explica que os trabalhos premiados seguiram bem a temática proposta nas oficinas. Parabéns aos artistas-mirins!

As oficinas online foi uma realização do Ministério da Cidadania e do Instituto Cultural Quattro, com apoio da ABAL – Associação Brasileira do Alumínio e patrocínio das empresas Alcoa, CBA, Hydro e Novelis.