Facebook
Criaturas aquáticas invadem CCAL – Centro Cultural do Alumínio

Nove esculturas de sereios urbanos, confeccionadas em alumínio, estão em exposição até 13 de julho

O Centro Cultural do Alumínio está ocupado, desde o dia 5 de junho, por figuras míticas aquáticas: os sereios – criaturas híbridas que vivem nos rios e mares com o propósito de resgatar as pessoas em perigo de afogamento.

‘A Lenda dos Sereios Urbanos’, instalação do artista visual Valter Nu, traz nove esculturas feitas em homenagem aos trabalhadores da construção civil que perderam suas vidas levantando pontes sobre rios e mares. As peças são confeccionadas a partir de sucata de alumínio encontradas em computadores, cabos e conduítes eletroeletrônicos.  A exposição vai até o dia 13 de julho.

A ideia dos sereios nasceu em 2013, quando Valter passava sobre a Ponte Rio-Niterói (RJ) e se lembrou das histórias que seu pai – empreiteiro que participou daquela obra – contou-lhe sobre os muitos trabalhadores que perderam suas vidas nas águas da Baia da Guanabara durante a construção da ponte.

Naquela época, o artista estava finalizando duas esculturas para o projeto Tecno Orixás, também confeccionadas com materiais plásticos e metálicos: Olokun e Iara – coincidentemente dois deuses das águas, o que o influenciou na criação da lenda dos sereios.  “Meus disparadores criativos são a música e a literatura, por isso minhas criações partem sempre de alguma dramaturgia, de alguma história”, comenta Valter.

Sete das esculturas presentes foram confeccionadas apenas com fios e peças de alumínio e criadas exclusivamente para o CCAL. Parte desse material é proveniente de doações, mas muito dessa sucata vem do olhar atento do artista sobre caçambas estacionadas em toda cidade. “Eu não vejo esses materiais como lixo, para mim são puramente matéria-prima para minhas criações”.

 
 
 
 
 
 
 

 

Serviço
A lenda dos Sereios Urbanos
De 05/06 a 13/07 – das 9h às 17h
Entrada franca