Facebook
Oficinas gratuitas de gravura em alumínio – Centro Cultural do Alumínio

Nos início de fevereiro, o CCAL montou um pequeno atelier para oferecer sua primeira oficina aberta ao público em 2020: gravuras em alumínio. Na ocasião, foram demonstradas três técnicas de gravação sobre o metal, uma a cada a dia, segundo o cronograma abaixo:

05/02: Ponta-seca e cologravura em papel alumínio, técnica aditiva de materiais à matriz formando texturas

06/02: Ponta-seca em ácido direto, ataque à superfície da matriz para criar novos efeitos de impressão

07/02: Ponta-seca em chine collé, técnica de adicionar papeis coloridos e muito finos, para dar cor à gravura.

As oficinas tiveram a duração de três horas e foram ministradas por uma dupla de arte-educadores sob a coordenação de Helena Freddi, professora do Centro Universitário Belas Artes e fundadora do HF Atelier de Gravura, espaço onde desenvolve pesquisas e colaborações artísticas.

Além de Helena, participaram das oficinas:

Bruna Kim: gravurista e designer, graduada em artes visuais pelo Belas Artes; trabalhou como assistente de gravura no HF Atelier por cinco anos e participou de mostras em São Paulo e Nova Iorque.

Julia Bastos: graduada em artes visuais pelo Belas Artes, já ministrou oficinas de gravura em unidades do SESC-SP, participou de exposições em São Paulo, Argentina e Guatemala; estagiou no ateliê de gravura do Museu Lasar Segall.

Kamila Vasques: graduada e com licenciatura em artes visuais pelo Belas Artes, participou de exposições no Brasil, Argentina e Nova Iorque. Em 2019 teve duas exposições individuais na Casa da Xilogravura. Atualmente pesquisa cologravura e processos gráficos experimentais.

A artista plástica Ana Freitas veio do Rio de Janeiro especialmente para os três dias de oficina. “Aprender técnicas diferentes com outros materiais ajuda nas minhas experimentações artísticas”, observa.  Bruno de Andrade, por sua vez, comemorou a oportunidade de trabalhar técnicas pouco oferecidas em oficinas culturais, como o chine collé e a cologravura.

Pata a idealizadora e coordenadora das oficinas Helena Freddi, a gravação em alumínio é uma técnica relativamente nova nas artes plásticas – data pouco mais de 50 anos – quando comparada a outros metais, mas que apresenta características muito particulares e vantajosas, sobretudo para o mercado brasileiro que trabalha com tiragens pequenas.

“Se a ductilidade do alumínio não o torna espetacularmente resistente à pressão necessária para muitas cópias, ele permite grande fluidez e expressividade nas gravações, assim como um campo vasto de experimentações não convencionais”.

 

As atividades e manutenção do Centro Cultural do Alumínio são uma realização do Ministério da Cidadania e Usina Projetos Culturais, com produção de Quattro Projetos e Instituto Cultural Quattro, e patrocínio das empresas Alcoa, CBA, Hydro e Novelis.